Traduci pagina

English French German Italian Portuguese Russian Spanish

Capo Verde

Ministro diz que não há “burocracias” no processo de atribuição de autorização de residência a estrangeiros

Expresso das Ilhas - Mar, 27/09/2022 - 8:17pm

O governante, que falava esta manhã, na Cidade da Praia, em reacção ao caso da Jovem Sayonara Gomes, que acusou as autoridades cabo-verdianas de negar atribuir nacionalidade e título de residência, documentos de que precisa para prosseguir estudos em Portugal, adiantou que neste momento a jovem já dispõe do título de residência para estrangeiros.

Paulo Rocha explicou que o título de residência foi solicitado há mais ou menos um mês e meio, e, de imediato, foi-lhe atribuído um visto de residência, ou seja, naquele mesmo dia passou a estar em condição legal permanente em Cabo vede o que lhe permitiria também tratar de outras questões que eventualmente quisesse tratar enquanto cidadão legalmente residente no País.

Segundo disse, o caso dessa jovem tem feito correr muita tinta, muitas opiniões sem qualquer informação e fora da realidade, mas ficou evidente que este não é afinal um processo tão burocrático já que Sayonara Gomes já tem em mãos o seu cartão de residência.

O ministro garantiu que o Governo está a cumprir com aquilo que diz respeito aos estrangeiros, sendo que abriu um período de regularização extraordinário de estrangeiros em Cabo Verde, agilizando os procedimentos, simplificando todas as exigências e eliminando todas as burocracias que antes existiam.

“É importante realçar que a nível do registo do agregado familiar as taxas eram elevadas e as pessoas preferiam registar-se deixando os filhos de fora, mas nós reduzimos em mais de 95% dos custos, estimulamos os registos enquanto o agregado familiar permitindo assim que as crianças e os menores de idade pudessem ser efectivamente inscritos na Direcção de Estrangeiros e Fronteiras (DEF) e tivessem a autorização de residência”, sustentou.

Por outro, disse ainda que os menores de 16 anos podem autonomamente solicitar a sua inscrição e solicitar a sua autorização de residência através de uma plataforma digital.

Relativamente à aquisição de nacionalidade, Paulo Rocha disse que Cabo Verde optou por laço sanguíneo, ou seja, aos cidadãos filhos ou netos de cabo-verdianos, diferentemente de outros países em que a nacionalidade é obtida de forma “automática”.

O governante explicou ainda que filhos de estrangeiros nascidos em Cabo Verde podem adquirir a nacionalidade pela via da naturalização desde que estejam a residir de forma habitual e legal em Cabo Verde durante cinco anos.

Em relação à proposta de alteração da lei em vigor, avançou que o documento está no Parlamento e caberá aos sujeitos parlamentares a decisão.

“Entretanto acrescentou que existe uma vontade ampla por parte dos diferentes sujeitos parlamentares no sentido de se obter uma lei consensual, mas sublinhou que há várias questões e aspectos que têm que ser analisados.

“Temos que perceber que é uma questão de interesse do Estado e nacional, por exemplo quando se coloca a atribuição da nacionalidade automática, temos que ver qual é a implicação que isto poderá ter no futuro do nosso País”, referiu.

Por outro lado, lamentou ainda o facto de muitos estrangeiros não terem aderido ao processo de simplificação de regularização extraordinário de estrangeiros em Cabo Verde, que esteve em vigor durante seis meses.

Categorie: Capo Verde

RDCongo anuncia fim de recente surto de Ébola, mas deixa alerta

Expresso das Ilhas - Mar, 27/09/2022 - 6:13pm

"Devemos reforçar ainda mais o nosso sistema de vigilância epidemiológica, bem como continuar a reflectir sobre as estratégias a implementar nas áreas de risco", afirmou o ministro da Saúde da RDCongo, Jean Jacques Mbungani.

O surto de Ébola na RDCongo, declarado em 22 de Agosto em Beni, uma cidade no nordeste do país, na província do Kivu do Norte, é o 15.º registado no país e causou apenas uma morte.

"A RDCongo acumulou uma experiência impressionante no controlo deste vírus e podemos utilizar as lições aprendidas para conter o surto de Ébola no Uganda", afirmou Matshidiso Moeti, diretora da Organização Mundial de Saúde (OMS) para o continente africano.

Segundo a OMS, na sequência do anúncio do surto no Uganda, as autoridades sanitárias do país vacinaram rapidamente mais de 500 pessoas, incluindo 350 contactadas por pessoas infectadas, assim como trabalhadores na área da saúde com funções na linha da frente do combate ao vírus.

As autoridades sanitárias do Uganda monitorizaram ainda 182 pacientes que tinham estado em contacto direto e indireto com uma vítima mortal do vírus durante 21 dias, dando-lhes alta após confirmarem que não tinham contraída a doença.

Desde o anúncio do novo surto de Ébola no Uganda, no passado dia 20, o Ministério da Saúde do país registou 18 casos confirmados de infeção com o vírus e cinco mortes.

O surto de Ébola na RDCongo foi da estirpe do Zaire, e o surto no Uganda é de uma estirpe muito menos comum, a do Sudão.

Ao contrário da estirpe do Zaire, não há vacina aprovada para a estirpe do Sudão, que é menos transmissível e tem uma mortalidade mais baixa (40-100%) do que a primeira (70-100%).

"Embora ainda não exista uma vacina eficaz para o vírus da estirpe do Sudão, (...) podemos e temos controlado os surtos de Ébola com o forte rastreio de contacto, deteção, isolamento de casos e bons cuidados médicos", afirmou Moeti.

A OMS sublinhou que o Uganda tem uma boa capacidade de testar o Ébola, e que as autoridades ugandesas já identificaram e estão a monitorizar a situação de quase 400 pessoas que tiveram contacto com pessoas infetadas.

Descoberto em 1976 na RDCongo - então denominada Zaire - o Ébola é uma doença grave, frequentemente fatal, que afeta os seres humanos e outros primatas e é transmitida por contacto direto com o sangue e fluidos corporais de pessoas ou animais infetados.

Provoca hemorragias graves e os seus primeiros sintomas são febre alta súbita, debilidade intensa e dores musculares, na cabeça e garganta, assim como vómitos.

O vírus assolou vários países da África Ocidental entre 2014 e 2016, período em que 11.300 pessoas morreram e foram registados mais de 28.500 casos.

Categorie: Capo Verde

​Expomar regressa esta quinta-feira com a Macaronésica como pano de fundo

Expresso das Ilhas - Mar, 27/09/2022 - 6:09pm

Segundo a presidente executiva da FIC, Angélica Fortes, tudo está a postos para o arranque da feira, que deverá contar com “casa cheia”.

“A perspectiva é boa, principalmente porque houve engajamento dos expositores, depois de três anos. Foi mais difícil convencer as pessoas a participarem nesta feira e sendo uma feira temática, com uma dimensão menor, as pessoas têm alguma reticência em participar. Mas conseguimos e estamos com o espaço cheio”, refere.

A Expomar 2022 conta com 54 stands de expositores nacionais e estrangeiros, entre eles Açores, Canárias e Madeira. À semelhança de edições anteriores, a feira integra três componentes, sendo eles exposição/mostra de produtos, serviços e tecnologias com aplicação ao mar, encontros de negócios e uma conferência Internacional que deverá reunir especialistas de Açores, Cabo Verde, Canárias e Madeira, para debater, precisamente, os “desafios do turismo náutico na macaronésia”.

Gil Costa, secretário-geral da Câmara de Comércio de Barlavento, instituição parceira da FIC na realização do evento, sublinha que o objectivo é facilitar “uma troca de boas práticas” nas actividades económicas ligadas ao sector.

“Este ano iremos dar um especial destaque à questão do turismo náutico, daí que planeamos, com o apoio de alguns parceiros, a conferência internacional, onde convidamos especialistas de os países da Macaronésia”, explica.

A Expomar 2022 acontece de 29 de Setembro a 1 de Outubro em São Vicente.

Sobre o novo centro de feiras e exposições de São Vicente - prometido desde a demolição das instalações em Laginha - Angélica Fortes, sem muitos pormenores, revela que "o processo está em andamento a nível governamental".

Categorie: Capo Verde

Lula da Silva amplia vantagem sobre Bolsonaro

Expresso das Ilhas - Mar, 27/09/2022 - 6:02pm

Segundo os dados do instituto de pesquisa Ipec, Lula da Silva teve um ponto a mais do que há uma semana, enquanto Bolsonaro manteve a mesma percentagem na sondagem, que tem confiabilidade de 95% e margem de erro de dois pontos percentuais.

O Ipec coloca o candidato Ciro Gomes na terceira posição, com 6% das intenções de voto, um ponto a menos do que o registado na semana passada.

Em quarto lugar está a senadora Simone Tebet, que tem com 5% dos apoios face à sondagem anterior.

Numa possível segunda volta, Lula da Silva manteve-se como possível vencedor com 54% das intenções de voto, face aos 35% de Bolsonaro, o mesmo resultado de 19 de Setembro.

A sondagem mostrou que as hipóteses de Lula da Silva ser eleito à primeira volta das presidenciais brasileiras, em 02 de Outubro, aumentaram.

Segundo o Ipec, no levantamento concluído na segunda-feira, o ex-sindicalista tem 52% dos votos válidos, face aos 34% de Bolsonaro, o que lhe garantiria a eleição sem a necessidade de ir à segunda volta, marcada para 30 em Outubro.

Os dados indicam que na última semana a rejeição de Bolsonaro aumentou de 50% para 51% e a de Lula da Silva passou de 33% para 35%.

O instituto entrevistou 3.008 pessoas em todo o país, entre os dias 25 e 26 de Setembro.

Às presidenciais brasileiras concorrem 11 candidatos: Jair Bolsonaro, Luiz Inácio Lula da Silva, Ciro Gomes, Simone Tebet, Luís Felipe D'Ávila, Soraya Tronicke, Eymael, Padre Kelmon, Leonardo Pericles, Sofia Manzano e Vera Lúcia.

Categorie: Capo Verde

OMC antecipa chegada de uma recessão global numa altura de policrise

Expresso das Ilhas - Mar, 27/09/2022 - 2:00pm

"A recessão está a chegar, as indicações não são positivas numa altura em que tanto o Banco Mundial como o Fundo Monetário Internacional baixaram as suas previsões de crescimento", disse Ngozi na abertura do fórum público anual da OMC.

"Estamos à beira de uma recessão global, mas ao mesmo tempo temos de pensar na recuperação, no regresso ao crescimento", disse a directora-geral ao fórum em Genebra.

O mundo "está num momento muito complicado, numa 'policrise' com impactos na segurança, no clima, nos preços da energia e dos alimentos, atingindo todos os países de uma só vez, pelo que não podemos continuar com os negócios como de costume, temos de pensar em novas ideias", disse a política nigeriana.

"Todos sentem estes impactos, a menos que sejam extremamente ricos e vivam isolados", brincou Ngozi, considerando que "para os países da OMC não é certamente uma situação normal".

A chefe da OMC salientou que, no contexto atual, quase a única resposta que os bancos centrais podem dar é aumentar as taxas de juro como estão a fazer, embora tenha assegurado que "as repercussões destes aumentos são muito graves para as economias em desenvolvimento e emergentes".

"Estas economias estão também a ajustar as suas políticas e a aumentar as taxas, mas as que são ditadas pelos países desenvolvidos afetam as suas dívidas e saídas de capital, pelo que é difícil avaliar estas medidas", salientou Ngozi.

Categorie: Capo Verde

Governo perspectiva “inverno turístico” extraordinário

Expresso das Ilhas - Mar, 27/09/2022 - 12:41pm

Segundo o presidente do conselho de administração (PCA) do Instituto do Turismo, os dados apontam para uma retoma do sector do turismo a nível internacional e nacional, não obstante a conjuntura internacional da incerteza ligada à invasão russa à Ucrânia.

De acordo com o responsável, a pandemia veio a paralisar o sector a nível mundial e nacional, mas também serviu para se limar algumas arrestas como é o caso da situação laboral dos trabalhadores e coesão social, bem como a preparação do tecido empresarial para a retoma plena do sector do turismo.

“Estamos a testemunhar a plena retoma do sector do turismo, mesmo a nível global e nacional”, sublinhou, acrescentando que em Junho atingiu-se 70 por cento (%) dos indicadores do ano de 2019, o que, disse, “é extraordinário”.

O PCA do Instituto do Turismo precisou que em relação a este verão, a nível global e nacional, acredita-se que o arquipélago está próximo ou mesmo acima daquilo que foi atingido em 2019.

Por esta razão, a mesma fonte disse acreditar que a temporada do inverno que está prestes a iniciar-se venha a ser “extraordinária”, dependendo, todavia, da conjuntura internacional, que o governo vem acompanhando de forma atenta.
O responsável considerou que as famílias estão no centro das atenções do governo, motivo pela qual estão a apostar na formação, principalmente dos jovens para prepará-los para o mercado do trabalho, o que, por sua vez, segundo disse, terá impacto junto das famílias e na qualidade de serviço que se pretende para este sector, essencialmente com esta nova alargada.

Lembrando que a aposta do Governo tem vindo a ser na requalificação urbana e a qualificação da oferta turística, assim como na qualificação profissional dos jovens em plena articulação entre o Instituto do Turismo, IEFP, Escola de Hotelaria e Turismo, aquele responsável indicou que isso vai culminar com a entrada em vigor da carteira profissional dos profissionais ligados a este sector.

Humberto Lélis sublinhou, por outro lado, que o turismo não é o fim em si, mas que este venha a refletir no impacto do bem-estar e na felicidade das famílias cabo-verdianas, destacando que a ilha do Maio tem um “grande potencial” para o sector, razão pela qual foi escolhida para uma vez mais receber este acto central.

Realçando que o Governo tem vindo a trabalhar e acautelar todos os possíveis aspectos menos positivos que possam advir com o desenvolvimento do sector do turismo, salientou que a requalificação e ampliação do porto vai contribuir para melhorar acessibilidade a nível dos transportes marítimos.

“A Escolha da ilha do Maio tem que ver com o facto de estarmos a iniciar um novo ciclo e a ilha certamente que vai ocupar um espaço central neste novo ciclo do crescimento do turismo”, afiançou, precisando que nos últimos tempos tem havido um crescente interesse por parte dos investidores externos para com a ilha, graças a uma “aposta forte do Governo”.

A ilha do Maio acolhe esta terça-feira, 27 de Setembro, o acto central do Dia Mundial do Turismo, sob o lema “Repensando o Turismo”, estando prevista a realização de várias actividades para assinalar esta efeméride em que um dos temas tem que ver com a vertente da combinação da oferta turística entre a ilha de Santiago e do Maio, com destaque sobre a zona económica especial da ilha.

Categorie: Capo Verde

Faz mal usar farinha fora do prazo?

Expresso das Ilhas - Mar, 27/09/2022 - 12:07pm

A farinha tem uma vida longa e até pode durar mais do que a data que é descrita na embalagem. Segundo o portal Healthline, é possível consumi-la entre três a oito meses depois da validade terminar.

Ainda assim, o melhor é sempre guardá-la em condições, já que se pode estragar com facilidade. Segundo o portal The Provident Prepper, o ideal é conservá-la num recipiente de plástico bem fechado ou num frasco de vidro.

A farinha está estragada quando apresenta um cheio a mofo e algo azedo. Podem também desenvolver-se alguns grumos devido à humidade. Se a consumir estragada, é normal que tenha um gosto estranho na boca.

Em grandes quantidades é provável que possa ficar doente já que ingere várias toxinas que são prejudiciais ao organismo, explica o portal EatingWell.

Categorie: Capo Verde

Governo quer apoio do Banco Mundial para quadro legal de gestão da dívida

Expresso das Ilhas - Mar, 27/09/2022 - 11:35am

Em causa está uma missão técnica a Cabo Verde que uma equipa do Banco Mundial iniciou na segunda-feira, chefiada pelo director-regional para o Crescimento Equitativo, Finanças e Instituições na região de África Ocidental e Central, Abebe Adugna, e que segundo Olavo Correia visa avaliar com vários intervenientes a dívida pública, a governação do país e a situação do sector privado.

"Acima disto tudo, temos de ter um bom quadro legal para a gestão da Dívida Pública, para que todo o endividamento seja realizado em prol do desenvolvimento da nossa economia, consequentemente do nosso país. Neste processo queremos poder contar com todo suporte do Banco Mundial, um parceiro importante para Cabo Verde", afirmou Olavo Correia, após uma primeira reunião com a equipa técnica liderada por Abebe Adugna.

Para Olavo Correia, esta missão "tem elevada importância", considerando que vai "permitir analisar" tecnicamente o tema da "boa gestão da dívida pública, que tem sido um desafio crescente para a economia de Cabo Verde".

Sublinhou igualmente que o quadro definido pelo Governo para a gestão da dívida pública assenta em quatro pilares fundamentais, nomeadamente a aceleração da dinâmica de crescimento económico (após a recessão de 14,8% em 2020), a aceleração na implementação da agenda de reforma no Sector Empresarial do Estado, a racionalização das despesas públicas e o aumento da capacidade de mobilização dos recursos endógenos.

A Lusa noticiou este mês que o 'stock' da dívida pública cabo-verdiana aumentou até Julho para o equivalente a 152,5% do Produto Interno Bruto (PIB) estimado para 2022, segundo o relatório provisório da execução orçamental.

De acordo com o documento, do Ministério das Finanças, o 'stock' da dívida pública chegou no final de Julho aos 296.600 milhões de escudos, um novo valor máximo absoluto, quando em Junho passado rondava os 293.475 milhões de escudos.

Em termos homólogos, o 'stock' da dívida pública aumentou ainda 10,6% face aos 268.122 milhões de escudos em Julho do ano passado, então equivalente a 148,6% do PIB de 2021.

Esse 'stock' atingiu ainda no final de Dezembro passado um recorde de 280.332 milhões de escudos, equivalente a 157,1% do PIB estimado para 2021.

O Governo estima baixar o rácio do 'stock' da dívida pública para 150,9% do PIB em 2022, conforme prevê o Orçamento do Estado, depois dos 155,6% em 2020, devido aos efeitos económicos da pandemia de covid-19.

Em Julho passado, a dívida pública contraída internamente valia o equivalente a 47,5% do PIB cabo-verdiano (46,0% em Julho de 2021), aumentando para quase 92.400 milhões de escudos, enquanto a dívida externa subiu para 105,0%, acima de 204.200 milhões de escudos.

O alívio, restruturação ou perdão da dívida externa é um objectivo de curto prazo assumido pelo Governo, que está em conversações com credores internacionais, nomeadamente Portugal, para libertar recursos financeiros para a retoma económica após a pandemia.

Face à crise económica provocada pela pandemia de covid-19, com quebra nas receitas fiscais e a necessidade de aumento de apoios sociais e às empresas, o Governo está a recorrer desde Abril de 2020 ao endividamento público para financiar o funcionamento do Estado, através de empréstimos internacionais e pela emissão de títulos do Tesouro no mercado interno.

Com uma recessão económica de 14,8% em 2020, que reduziu nessa proporção o PIB face a 2019, o rácio do 'stock' da dívida pública em função do PIB também disparou. Esse rácio ultrapassou pela primeira vez os 100% do PIB em 2013, mas estava em queda na anterior legislatura (2016-2021), até ao início da pandemia de covid-19, sobretudo devido ao crescimento económico do país, de mais de 5% ao ano, já que continuava a crescer em termos absolutos.

A principal consequência económica da pandemia de covid-19 em Cabo Verde prende-se com a forte quebra na procura turística desde Março de 2020, sector que antes garantia 25% do PIB do país, com a inerente forte quebra de receitas fiscais e consumo.

Categorie: Capo Verde

Furacão Ian atinge Cuba com fortes chuvas e provoca a retirada de 50 mil pessoas

Expresso das Ilhas - Mar, 27/09/2022 - 11:27am

O furacão Ian atingiu a categoria 3, segundo o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC).

As autoridades da província cubana de Pinar del Rio disponibilizaram 55 abrigos, mobilizou e enviou equipas de emergência para proteger as plantações na principal região produtora de tabaco de Cuba, antes da chegada prevista do furacão.

O NHC referiu que a costa oeste da ilha deve sofrer com fortes tempestades, acrescentando que a velocidade do vento já atingiu 185 quilómetros por hora.

"Cuba está a esperar ventos com força extrema caudados pelo furacão e também fortes tempestades com risco de vida", disse o especialista sénior do NHC de furacões Daniel Brown à agência de notícias Associated Press (AP).

Em Havana, na segunda-feira, pescadores estavam a retirar os seus barcos da água ao longo da famosa avenida à beira-mar Malecon e os funcionários da cidade estavam a desentupir sarjetas antes da chegada da tempestade.

Em El Fanguito, em Havana, um bairro pobre perto do rio Almendares, os moradores estavam a arranjar o que podiam para deixar as suas casas.

"Espero que escapemos desta porque seria o nosso fim. Já temos tão pouco", disse o profissional de saúde Abel Rodrigues.

Depois de passar por Cuba, está previsto que o furacão Ian deverá se fortalecer ainda mais sobre as águas quentes do Golfo do México antes de chegar à Florida na quarta-feira, como uma tempestade de categoria 4 e com ventos de 225 quilómetros por hora.

Cerca de 300.000 pessoas podem ser evacuadas de áreas baixas apenas no condado de Hillsborough, disse a administradora do condado, Bonnie Wise. Algumas dessas evacuações começaram na tarde de segunda-feira nas áreas mais vulneráveis, com escolas e outros locais abrindo como abrigos.

"Devemos fazer tudo o que pudermos para proteger nossos moradores. O tempo é essencial", disse Wise.

Os moradores da Florida fizeram fila por horas em Tampa para colectar sacos de areia e comprar água engarrafada.

O governador da Florida, Ron DeSantis, declarou emergência em todo o Estado e alertou que Ian poderia atingir grandes áreas da Florida, cortando a energia e interrompendo o fornecimento de combustível.

"Há uma tempestade significativa que pode acabar por se tornar um furacão de categoria 4", disse DeSantis numa conferência de imprensa.

"Isso vai causar uma enorme quantidade de tempestades. Vamos ter inundações e teremos muitos impactos diferentes" no Estado, afirmou o governador.

DeSantis disse que o Estado mobilizou 5.000 soldados da Guarda Nacional do Estado da Florida, com outros 2.000 de prontidão nos Estados vizinhos.

O Presidente dos EUA, Joe Biden, também declarou estado de emergência, autorizando o Departamento de Segurança Interna e a Agência Federal de Gerenciamento de Emergências a coordenar o socorro a desastres e fornecer assistência para proteger vidas e propriedades. Biden adiou uma viagem programada para a Florida hoje devido à tempestade.

A NASA planeou deslocar lentamente o seu foguete lunar da plataforma de lançamento para o hangar do Centro Espacial Kennedy, adicionando semanas de atraso ao voo de teste.

Inundações repentinas foram previstas para grande parte da península da Florida e fortes chuvas deverão ocorrer no sudeste dos Estados Unidos no final desta semana.

Categorie: Capo Verde

Preço do barril Brent continua a descer

Expresso das Ilhas - Mar, 27/09/2022 - 10:15am

O crude do Mar do Norte, de referência em Cabo Verde para a fixação dos preços dos combustíveis, concluiu a sessão de ontem no International Exchange Futures a cotar 2,08 dólares abaixo dos 86,09 com que fechou as transacções na sexta-feira.

O receio que as medidas dos bancos centrais para conter a inflação prejudiquem o crescimento da economia e afetem a procura do petróleo continua a pesar sobre a cotação do barril.

Os analistas do mercado já estão a conceber o cenário de o grupo designado por OPEP+, que junta os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), juntamente com aliados liderados pela Federação Russa, analise cortes de produção, para fazer subir os preços, na sua reunião de 05 de Outubro.

Categorie: Capo Verde

TACV aluga A320-200 à Airhub Airlines de Malta

Expresso das Ilhas - Lun, 26/09/2022 - 8:25pm

Em comunicado a que a Lusa teve acesso, a Airhub Airlines refere tratar-se de um contrato em regime ACMI (na sigla em inglês para Avião, Tripulação, Manutenção e Seguro), em que a empresa disponibiliza todos os meios para a realização dos voos pela aeronave fretada, que neste caso tem a matrícula 9H-GTS e 12 anos de operação.

“A nossa parceria com a Cabo Verde Airlines [nome comercial adoptado pela Transportes Aéreos de Cabo Verde – TACV] cimenta a posição da Airhub Airlines como fornecedora de serviços ACMI em todo o mundo”, afirma, citado na nota, Haris Coloman, administrador da companhia maltesa especializada no aluguer de aeronaves, voos charter e operações de transporte de carga.

No comunicado não são avançados valores ou período deste contrato de aluguer da aeronave.

A TACV, que não dispõe de frota própria e só retomou os voos em Dezembro passado, depois de nacionalizada devido à pandemia de covid-19, chegou a acordo, em Março, com a angolana TAAG para alugar um Boeing 737-700, com o qual já está a voar para Portugal.

Em Março de 2019, o Estado de Cabo Verde vendeu 51% da TACV por 1,3 milhões de euros à Lofleidir Cabo Verde, empresa detida em 70% pela Loftleidir Icelandic EHF (grupo Icelandair, que ficou com 36% da Cabo Verde Airlines) e em 30% por empresários islandeses com experiência no sector da aviação (que assumiram os restantes 15% da quota de 51% privatizada). Entretanto, na sequência da paralisação da companhia durante a pandemia de covid-19, o Estado assumiu em 06 de Julho de 2021 a posição de 51% na TACV, alegando vários incumprimentos na gestão, detendo actualmente 90% do capital social.

O Estado vai injectar anualmente mil milhões de escudos na TACV, para garantir a estabilidade e recuperação da companhia aérea, antes de a reprivatizar em 2024, anunciou na sexta-feira o ministro dos Transportes.

“Até 2024, é a nossa previsão para estabilizar a companhia, ter a companhia apetecível para poder ser privatizada”, anunciou o ministro Carlos Santos, confirmando que nas contas do Governo está prevista uma injecção global de 3.000 milhões de escudos (27,3 milhões de euros), em três anos, incluindo 2022.

A previsão do Governo é privatizar a TACV após três anos de apoio, sendo que parte da verba de 9,1 milhões de euros prevista para este ano, de acordo com o ministro, já foi utilizada, nomeadamente para pagar salários na companhia.

“Este é o objectivo que nós temos definido: 2024 [privatização]”, afirmou o ministro do Turismo e Transportes, em conferência de imprensa de balanço da reunião do Conselho de Ministros realizada no dia anterior, na qual foi aprovada a proposta de resolução que autoriza o accionista Estado a “colocar à disposição” da TACV “recursos financeiros para garantir a estabilidade da empresa”.

A opção de investir mais de 27 milhões de euros em três anos para manter e fazer crescer a companhia, sublinhou o ministro, já estava prevista em negociações com o Fundo Monetário Internacional (FMI) e está “alinhada com a política do turismo”, de “diversificação do sector e da oferta”, o que obriga a “induzir a diversificação na procura”.

A TACV retomou as operações, após a suspensão de todas a actividade em Março de 2020 devido à pandemia, inicialmente com voos apenas entre Praia e Lisboa, desde o final de Dezembro. Com apenas uma aeronave, os voos foram alargados já este ano das ilhas de São Vicente e do Sal para a capital portuguesa.

Na altura, Carlos Santos disse igualmente que estava em cima da mesa o aluguer de um segundo avião, para manter a aposta no crescimento internacional.

“Por tudo isto nós queremos repagar esta companhia, estabilizá-la, para quando houver águas calmas em Cabo Verde e no mundo inteiro conseguirmos ter a possibilidade de reprivatizar essa companhia e continuar ao serviço do país, construindo aquilo que é o conceito da plataforma com o seu epicentro na ilha do Sal”, disse ainda.

Categorie: Capo Verde

Música: Djy Indiferente lança “Mariazinha” nas plataformas digitais

Expresso das Ilhas - Lun, 26/09/2022 - 8:18pm

Djy Indiferente, natural do Tarrafal de Santiago, reside em França e é autor de três mixtape: “Indiferente” lançado em 2010, Liberal em 2011 e “A Memória” em 2013.

Autor de hits como Paixon okulto e a Bela e o Monstro, lançou em 2015 seu primeiro álbum “Universos”, sempre com uma pegada de hip hop.

Em declarações à Inforpress, o artista avançou que este novo trabalho, que marca uma nova era da sua carreira, surge após um ano pausado e traz sonoridades “diferentes”.

“Esse retorno traz novidades, sonoridades diferentes sem perder a essência. Pesquisas, estudos de mercado musical que originou uma nova fase da minha carreira”, salientou Djy Indiferente, esperando que o público venha a gostar desta nova fase.

O músico adiantou que todos os meses vai ser lançando um video-single até que o projecto Malú esteja apresentado na totalidade.

Assim, “Mariazinha”, que, conforme sublinhou o músico, narra uma história de amor de um casal do campo, é a segunda faixa do projecto “Malú”, sendo que no mês passado disponibilizou “MARIE” que já conta com mais de 22 mil visualizações.

Djy Indiferente prometeu trazer, neste novo álbum composto por seis faixas, boas vibrações e emoções, salientando que cada faixa musical é baptizada com um nome de mulher.

“É um álbum focado mais no sexo feminino, por ser uma homenagem às mulheres, e a cada mês vai ser revelada uma faixa, pelo que acredito que até ao final do ano já terei todo o álbum apresentado”, disse.

Categorie: Capo Verde

Donativos internacionais a Cabo Verde caíram mais de 30% em sete meses

Expresso das Ilhas - Lun, 26/09/2022 - 5:52pm

De acordo com um relatório sobre a execução orçamental de Janeiro a Julho de 2022, essas transferências envolvem ajuda alimentar, donativos directos e apoios de governos ou de organizações internacionais.

Em sete meses, essas transferências ascenderam a 601 milhões de escudos, equivalente a apenas 15,1% do orçamentado pelo Governo como previsão para todo o ano de 2022, que aponta receber apoios superiores a 3.982 milhões de escudos.

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, afirmou em Julho que o Estado tem absorvido os principiais impactos da crise provocada pela guerra na Ucrânia, mas pediu uma “frente comum” nacional e “cerrar fileiras” para responder às consequências, voltando a pedir apoio internacional.

O país vive ainda uma profunda crise económica, após uma recessão de quase 15% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020, face à ausência de turismo provocada pela pandemia de covid-19, sector que garante 25% do PIB e do emprego.

A economia cabo-verdiana cresceu 7% em 2021, impulsionada pela retoma da procura turística, e previa 6% de crescimento em 2022, projecção entretanto revista para 4%, devido às consequências económicas da guerra na Ucrânia.

Estes donativos e ajuda orçamental visam essencialmente apoiar programas de reforço de saúde primária e educação, criação de emprego, formação profissional, apoio ao setor informal e a implementação de programas de reforço do rendimento das famílias, face aos impactos da covid-19 no arquipélago.

O valor arrecadado por Cabo Verde com estas transferências até Julho compara com os donativos recebidos nos primeiros sete meses de 2021, que ascenderam então a 865 milhões de escudos, tratando-se por isso de uma quebra de 30,5% no espaço de um ano.

Este apoio recebido por Cabo Verde já caiu praticamente 24% em 2021, face ao ano anterior, para 3.984 milhões de escudos, indicam dados do Ministério das Finanças noticiados anteriormente pela Lusa.

Esse desempenho compara ainda com os 5.223 milhões de escudos em transferências recebidas por Cabo Verde em todo o ano de 2020. Trata-se de uma quebra de 23,7% em termos homólogos, que compara por sua vez com um período já com os efeitos internacionais da pandemia de covid-19 que o relatório do Ministério das Finanças sobre a execução orçamental de 2021 justifica com “vários factores”, nomeadamente com a antecipação para o final de 2020 de verbas de apoio, de resposta à pandemia de covid-19, ou o “decréscimo da ajuda alimentar”, de menos quase 8%, para 97,8 milhões de escudos.

De acordo com dados anteriores do Ministério das Finanças, o país recebeu em 2018, com transferências de donativos internacionais, 2.575 milhões de escudos, valor que disparou para 6.238 milhões de escudos em 2019.

Em 2020, esse valor caiu para 5.224 milhões de escudos (47,2 milhões de euros), segundo o mesmo relatório do Ministério das Finanças, que refere tratar-se de uma taxa de execução de 61%.

Categorie: Capo Verde

Aumento de eléctricos fez baixar emissões de dióxido de carbono na UE

Expresso das Ilhas - Lun, 26/09/2022 - 5:24pm

De acordo com a AEA, a percentagem de veículos eléctricos triplicou de 2019 para 2020, passando de 3,5% para 11,6% dos veículos em circulação. Destes, 6,2% são veículos elétricos e 5,4 são veículos híbridos plug-in.

Na Europa foram registadas em 2020 1,4 milhões de novas carrinhas, com emissões médias 1,9% inferiores às de 2019. A percentagem de carrinhas eléctricas passou de 1,4% em 2019 para 2,3% em 2020, indicam também os números da AEA.

Categorie: Capo Verde

Guterres pede fim da "era da chantagem nuclear" e apela a "recuo"

Expresso das Ilhas - Lun, 26/09/2022 - 5:24pm

À margem da 77.ª Assembleia-Geral das Nações Unidas, num evento que assinala o Dia Internacional da Eliminação Total de Armas Nucleares, Guterres comprometeu-se a trabalhar estreitamente com todos os Estados-Membros para neutralizar as ameaças nucleares, recordando o período da Guerra Fria, que colocou "a Humanidade a poucos minutos da aniquilação" e estabelecendo um paralelo com o atual "esgrimir dos sabres nucleares".

"Deixem-me ser claro: a era da chantagem nuclear deve terminar. A ideia de que qualquer país poderia lutar e vencer uma guerra nuclear é insana. Qualquer uso de uma arma nuclear incitaria um armageddon humanitário. Precisamos de recuar", disse.

Face aos reveses na Ucrânia, o Presidente russo, Vladimir Putin, anunciou, na semana passada, uma mobilização parcial que abrange 300.000 reservistas e ameaçou usar todas as armas, incluindo nucleares, em caso de ameaça à integridade territorial da Rússia, sublinhando não estar a "fazer bluff".

Num momento em que a 77.ª Assembleia-Geral da ONU se aproxima do fim, Guterres aproveitou a presença de vários chefes de Governo e de Estado em Nova Iorque para apelar a um novo compromisso contra o uso de armas nucleares.

"Exorto todos os Estados a usarem todas as vias de diálogo, diplomacia e negociação para aliviar as tensões, reduzir o risco e eliminar a ameaça nuclear. Mais amplamente, também precisamos de uma nova visão para o desarmamento nuclear e a não-proliferação", pediu.

"No mês passado, tive a honra de visitar Hiroshima e conhecer os bravos sobreviventes do ataque [nuclear] de 1945, os hibakusha. A cada ano, os seus números diminuem. Mas a mensagem deles fica mais audível: as armas nucleares são o poder mais destrutivo já criado. Elas não oferecem segurança -- apenas carnificina e caos. A sua eliminação seria o maior presente que poderíamos dar às gerações futuras", declarou Guterres.

O líder das Nações Unidas recordou que a sua proposta de Nova Agenda para a Paz exige um desarmamento significativo e o desenvolvimento de um entendimento comum das múltiplas ameaças que a humanidade enfrenta.

"Precisamos de levar em conta a evolução da ordem nuclear, incluindo todos os tipos de armas nucleares e seus meios de lançamento. E precisamos abordar as linhas ténues entre armas estratégicas e convencionais e o nexo com novos domínios do ciberespaço e do espaço sideral", afirmou.

"Sem eliminarmos as armas nucleares, não poderá haver paz. Não pode haver confiança. E não pode haver futuro sustentável. Vamos sair da Assembleia deste ano com um novo compromisso de trabalhar para o futuro pacífico que todos buscamos", apelou.

Categorie: Capo Verde

​Mais de 9 mil idosos vivem em pobreza extrema em Cabo Verde

Expresso das Ilhas - Lun, 26/09/2022 - 4:59pm

A governante falava durante o lançamento da “Semana da Pessoa Idosa” que teve lugar na Academia de Música Jotamonte, em São Vicente.

“Perante esses dados, o Governo de Cabo Verde assume a sua responsabilidade e é um Governo que está bastante preocupado com a questão do envelhecimento da população, que se preocupa com o envelhecimento saudável dos nossos idosos. E é por isso que criou o plano nacional de cuidados, que consiste na formação de cuidadores para prestarem um melhor serviço aos nossos idosos.

Durante a sua intervenção, Lídia Lima elencou várias medidas adoptadas pelo executivo para apoiar os idosos a nível social e económico, mas defende que o investimento em programas de apoio deve envolver, para além do Estado, a sociedade, instituições públicas e privadas. A tutela da pasta da família destaca, nomeadamente, programas que visam proteger os idosos dos diversos tipos de violência tanto a nível verbal, física, psicológica, o abandono, a negligência, a violência sexual e financeira.

“Muitos dos nossos idosos sofrem de violência financeira na nossa sociedade, e isso é do conhecimento de todos. Portanto, para termos esses investimentos, que também passa pela criação de serviços comunitários de qualidade, onde os próprios idosos também possam dar a sua contribuição na definição dos tipos de serviços que querem para si, para tudo isso é preciso que haja também um forte engajamento da sociedade, das instituições públicas e privadas, do estado, de todos nós”, diz.

Na sua intervenção, o presidente da Câmara Municipal de São Vicente, Augusto Neves, defendeu que o primeiro trabalho começa na família.

“Se todos fizéssemos um pouco de certeza teríamos uma velhice muito mais alegre e um envelhecer com dignidade. Muitas das dificuldades começam na família porque os cuidados não são as melhores. As instituições fazem dentro das possibilidades do país, dentro daquilo que são os apoios e os rendimentos, mas sabemos que tudo tem um custo”, afirma.

A “Semana da Pessoa Idosa” começou hoje e termina no dia 1 de Outubro. A abertura contou com a presença de pessoas idosas, instituições públicas e privadas de solidariedade e sociedade civil.

O evento enquadra-se no Dia Internacional do Idoso, que se celebra no próximo sábado, sob o lema “A protecção social da pessoa idosa: envelhecer com dignidade”.

Categorie: Capo Verde

Arrancam obras para reabilitação do antigo edifício da Alfândega Velha na Boa Vista

Expresso das Ilhas - Lun, 26/09/2022 - 3:04pm

Através de um comunicado, o Ministério diz que as obras visam resolver as patologias de degradação do edifício e garantir as condições adequadas para a instalação do museu de arqueologia da Boa Vista.

Será ainda construído o alpendre que existia antigamente e que foi demolido, bem como pequenas rampas nas portas de acesso do saguão para parte interna do edifício para melhor acessibilidade.

Após a sua reabilitação, numa segunda fase, o edifício da Alfândega Velha albergará o novo Museu de Arqueologia da Boa Vista, que irá acolher parte significativa do espólio arqueológico nacional e que é proveniente dos naufrágios registados naquela ilha.

"Este projecto visa, para além de proteger, valorizar e divulgar o legado arqueológico da ilha, criar novos espaços de interpretação que contribuam para a diversificação da oferta turístico-cultural da ilha", diz o comunicado.

Esta intervenção conta com parte do financiamento do Projeto Margullar2 no quadro do Programa MAC 2014-2020 de que Cabo Verde é beneficiário e ainda com o financiamento do Governo através do Plano Operacional do Turismo (POT).

Categorie: Capo Verde

​UCID chama a atenção para “reformas sem planeamento estratégico” do sistema educativo

Expresso das Ilhas - Lun, 26/09/2022 - 2:44pm

As declarações foram feitas pela deputada Zilda Oliveira, durante uma conferência de imprensa sobre o sector da educação e o início do novo ano lectivo.

“Iniciou-se agora a implementação da reforma do ensino técnico, e ainda não ouvimos nenhum pronunciamento do senhor ministro da Educação acerca desta. Perguntamos se será porque os programas das disciplinas tecnológicas, inclusive as práticas oficinais, do 10º ano, o ano da reforma, ainda não foram enviadas às escolas. Como é que é suposto os professores trabalharem numa reforma iniciada sem confiança? E sem programas não há manuais, pelo que sem estes está-se a por em causa o sucesso do processo ensino-aprendizagem”, diz.

Zilda Oliveira refere que ainda não foi aprovado um sistema de avaliação para o ensino técnico, no âmbito da reforma em curso. A parlamentar realça que não se pode continuar com a “prática recorrente de introdução de adendas ao longo do ano lectivo, e muitas vezes até no final do ano que confundem e condicionam o trabalho dos professores e dos alunos, e com implicações a nível dos resultados e da própria gestão da escola”.

“A nível do ensino técnico, as oficinas não são em dimensão ou em número suficiente para albergar os três níveis de ensino da via técnica, pois a via técnica agora passa a ser do 10º ao 12º. E por este motivo, muitos alunos em São Vicente não puderam seguir por esta via de ensino, contrariando a lógica da orientação vocacional e da valorização do ensino técnico”, entende.

Na mesma conferência de imprensa, a parlamentar dos democratas-cristãos disse que a força política concorda com o Governo na necessidade de se continuar a reabilitar o parque escolar, mas defende que é igualmente necessário adequar as escolas às necessidades impostas pelos currículos e pela reforma educativa ora implementada.

“Por exemplo, muitas escolas básicas não têm espaço adequado, e nem equipamentos necessários ou em número suficiente para as aulas de educação física. A disciplina TIC, modular no 7º e 8º e agora obrigatória do 9º ao 12º, exige a criação de salas de informática e a alocação de computadores em número suficiente para uma gestão de horários sem os constrangimentos verificados”, afirma.

Zilda Oliveira faz um apelo para um maior cuidado da saúde mental dos jovens, pelo que defende a necessidade de ponderar a possibilidade de afetar psicólogos clínicos às escolas, ou pelo menos por agrupamento.

Categorie: Capo Verde

Petróleo negociado a 85 dólares

Expresso das Ilhas - Lun, 26/09/2022 - 2:33pm

Desde sexta-feira que a tendência dos preços do petróleo, nos mercados internacionais, é de descida por causa dos receios de uma recessão da economia mundial

Hoje de manhã, o barril de Brent, negociado em Londres e que serve de referência para o mercado nacional para a fixação dos preços dos combustíveis, chegou a cair mais de 1%, estando agora a desvalorizar cerca de 0,5% e a cotar em torno de 84,5 dólares, o nível mais baixo desde Fevereiro deste ano. Já o West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, também recua em torno de 0,5% e está a cotar na casa dos 78 dólares por barril.

Segundo diversos especialistas em mercados financeiros há dois factores que estão a explicar este movimento descendente dos preços do petróleo. 

Por um lado, os investidores temem que a subida das taxas de juro que estão a ser decididas por muitos dos bancos centrais para dar resposta à inflação possam levar a um abrandamento ou mesmo recessão económica, o que levará a uma queda da procura por petróleo.

Por outro, a valorização recente do dólar também penaliza a procura, já que obriga os compradores que usam outras moedas a gastarem mais para adquirir petróleo. Esta manhã, o índice que compara o dólar com outras seis das principais moedas a nível mundial está a subir para novos máximos históricos.

As atenções viram-se agora para a próxima reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), cujos membros, juntamente com os países aliados liderados pela Rússia, irão reunir-se no próximo dia 5 de Outubro. As expectativas apontam para que desta reunião saia a decisão de limitar a produção no que será visto como uma tentativa de estancar a queda dos preços ao limitar a oferta.

Categorie: Capo Verde

XGaleria- a marca que aposta no feltro para produção de decorativos de quarto infantil

Expresso das Ilhas - Lun, 26/09/2022 - 1:58pm

Ailine Xavier, a artesã por detrás da XGaleria, começou por produzir bijuterias que vendia nas feiras de artesanato, durante as épocas festivas. Foi numa dessas feiras que conheceu uma brasileira que lhe ensinou como trabalhar com o feltro.

Segundo conta ao Expresso das Ilhas, ao constatar que a maioria dos artesãos locais trabalham com a bijuterias, decidiu trilhar um novo caminho: apostar em peças decorativas para quartos de bebés e crianças.

Assim, a jovem formada em bio diagnóstico, começou a produzir quadros, almofadas, guirlandas e lembracinhas, à base de feltros, linhas, tecidos, cordas de cisel e fitas.

"Normalmente, as pessoas escolhem um tema e pedem a peça personalizada. É sempre bom a pessoa personalizar o seu pedido, pedir os detalhes que pretende, mas admito que quando o cliente deposita toda a confiança em mim, acabo por fazer o produto mais elaborado porque gosto muito que cada produção seja única", admite.

Categorie: Capo Verde