Angola

Taça Cosafa: Angola define hoje passe para final

Angola Press - 3 ore 9 sec fa
Luanda - A selecção nacional de futebol defronta às 14h30 de hoje a Zâmbia, em jogo das meias-finais da Taça Cosafa em futebol sub-17, a disputar-se no Estádio Mpira, no Malawi.,    

A outra meia-final vai envolver Moçambique e Eswatini, também nesta sexta-feira, enquanto a final está reservada para domingo.

Angola é a detentora do troféu e faz-se representar na prova com a equipa sub-16 devido à envolvência da sub-17 no mundial da categoria, no Brasil.

,
Categorie: Angola

Trabalhadoras esclarecidas sobre licença de maternidade

Angola Press - 3 ore 19 min fa
Ndalatando - As trabalhadoras da Angop na província do Cuanza Norte foram esclarecidas nesta quinta-feira, em Ndalatando, sobre a licença de maternidade e o subsídio de aleitamento, durante uma palestra realizada pelo Instituto Nacional de Segurança Social (INSS).,

O evento, promovido pela delegação provincial desta agência noticiosa, no âmbito das comemorações do 30 de Outubro - Dia da Angop, foi orientado pela responsável local do INSS, Alcina dos Santos Manuel, e teve por objectivo esclarecer as participantes sobre estes benefícios e outros que favorecem as mães trabalhadoras e suas famílias.

Na ocasião, a oradora afirmou que as funcionárias inscritas no INSS com filhos menores de quatro meses podem requerer o subsídio de aleitamento. Trata-se de uma prestação pecuniária destinada a ajudar os encargos com o aleitamento ou amamentação da criança.

Referiu que muitas mães trabalhadoras não usufruem deste benefício atribuído pelo INSS por desconhecimento ou são desencorajadas a requerê-lo devido ao valor do mesmo ser insuficiente para cobrir todos os encargos com o aleitamento.

Apesar disso, a responsável encorajou as trabalhadores a solicitarem esta prestação social, tendo em conta que o INSS paga outros subsídios aos funcionários, como o de maternidade, abono de família entre outros.

Sem indicar dados comparativos, aclarou que de Janeiro a Setembro deste ano o INSS no Cuanza Norte recepcionou apenas três processos de solicitação do subsídio de aleitamento.

Este benefício e outros que favorecem as mães e suas famílias estão consagrados no Decreto Presidencial sobre o Regime Jurídico das Prestações Familiares.

O Decreto Presidencial nº8/11 de 7 de Janeiro que estabelece o Regime Jurídico das Prestações Familiares indica que o subsídio de aleitamento para as funcionárias com remunerações até cinco salários mínimos (o salário mínimo está fixado em 21.454 kwanzas) é de 1.500 kwanzas por mês.

 As que têm remunerações superiores a cinco e inferiores a 10 salários mínimos recebem mil kwanzas. O valor do subsídio de aleitamento para aquelas com remunerações superiores a 10 salários mínimos é de 500 kwanzas.

Segundo ainda a oradora, o valor atribuído obedece ao princípio da diferenciação positiva para beneficiar quem aufere um salário mais baixo e tem mais dificuldade em suportar os encargos com o aleitamento.

Para atribuição do subsídio de aleitamento, as funcionárias devem estar inscritas no INSS e ter contribuído, no mínimo, durante seis meses nos últimos 12 meses. O filho deve estar registado e ter cumprido o calendário de vacinação estabelecido pelo Ministério da Saúde.

O subsídio de aleitamento, atribuído mensalmente, é apenas pago uma vez por ano, durante três anos pelo INSS por intermédio das empresas. O pagamento é suspenso sempre que as entidades empregadoras não façam prova documental da manutenção do subsídio.

No Cuanza Norte, o INSS tem assegurado as prestações sociais a 41 mil 373 segurados e controla mil e 770 contribuintes, que são as pessoas singulares ou colectivas, públicas ou privadas, que têm trabalhadores contratados no âmbito da legislação laboral ou da relação de emprego público.

Assistiram ainda a palestra trabalhadora locais da TPA, Rádio Nacional, Edições Novembro, funcionários públicos e estudantes.

No quadro das actividades alusivas aos 44 anos da ANGOP, esta delegação tem ainda agendada duas palestras com o tema “As doenças profissionais - lombalgias, causas, consequências e prevenção”, O papel da Angop no Desenvolvimento da província do Cuanza Norte” bem como “As incompatibilidades no jornalismo”.

Visitas às unidades locais de produção agrícola e fabris constam ainda das actividades programadas para saudar a data na província.

,
Categorie: Angola

Futebol: Alverca elimina Sporting da Taça de Portugal

Angola Press - 3 ore 49 min fa
Lisboa - O Sporting, detentor do título, foi esta quinta-feira eliminado na terceira eliminatória da Taça de Portugal em futebol, ao perder em casa do Alverca, por 0-2.,  


A equipa ribatejana, segunda classificada da Série D do terceiro escalão do futebol nacional, adiantou-se logo aos 10 minutos, através de Alex Apolinário, tendo ampliado a vantagem aos 55, por intermédio de Luan.

,
Categorie: Angola

Zaire: Alocação de verbas para combate à pobreza só com projectos

Angola Press - 4 ore 17 min fa
Mbanza Kongo - os vinte e cinco milhões de Kwanzas disponibilizados mensalmente às administrações municipais para o programa de combate à pobreza nas comunidades passam, a partir do próximo ano, a serem alocados mediante a apresentação de projectos devidamente elaborados. ,

A afirmação é do coordenador do grupo técnico da unidade de acompanhamento e supervisão do programa integrado do desenvolvimento local e combate à pobreza (PIDLCO), Miguel Pereira.

 

De acordo com o responsável, que falava à imprensa à saída de um encontro de apresentação de relatórios das administrações municipais que decorreu no governo provincial do Zaire, verificou-se alguma ineficiência na aplicação dos valores disponibilizados por falta de projectos devidamente elaborados.

 

A propósito, disse, a partir de 2020 a disponibilização da tranche cabimentada mensalmente para o programa de combate à pobreza nos municípios será condicionada à apresentação de projectos de impacto social por parte dos gestores locais.

 

Nesta senda, aconselhou os administradores municipais a envolverem a sociedade civil, como igrejas e organizações não-governamentais na identificação, elaboração e execução de projectos sociais em prol das comunidades.

 

“O país está a enfrentar inúmeras dificuldades em termos de recursos financeiros e o pouco que temos deve ser gerido de forma racional para a prossecução das acções”, aconselhou.

 

Durante a estada de dois dias ao Zaire, a comitiva de monitoramento do programa de combate à pobreza que integra seis técnicos vai visitar os municípios de Mbanza Kongo, Tomboco e Nzeto.

 

,
Categorie: Angola

Quatro novos hospitais de referência abrem em 2020

Angola Press - 5 ore 6 min fa
Cuito - Quatro novos hospitais de referência nas províncias de Cabinda, Huambo, Cuanza Sul e Bié entram em funcionamento em 2020, anunciou nesta quinta-feira, no Cuito (Bié), a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta. ,

A governante falava à imprensa local, após a assinatura de um acordo de parceria entre o seu sector e o Banco de Fomento de Angola (BFA), para a execução de um projecto denominado “BFA Nutrir” no Bié, avaliado em 600 mil dólares americanos.

A governante lembrou que as unidades já estão em construção, com excepção à província do Huambo que está para breve o seu arranque, visando continuar a prestar melhores serviços de saúde a toda população angolana.

Na província do Bié, apurou a Angop, as obras do novo hospital geral, com capacidade de internamento para 300 camas, encontram-se a 75 porcento de execução física. Vai contar também com o Hospital Regional do Cuemba, 180 quilómetros a ser inaugurado sexta-feira (18).

Para a capital do país, Luanda, Sílvia Lutucuta avançou a abertura, no próximo ano (2020), do Instituto Hematológico Pediátrico, do Instituto Forense, vulgo “Morgue”, do Hospital Materno-Infantil e o novo Hospital de Queimados.

 No pacote, segundo a governante, estão em trabalhos de reabilitação e ampliação o Hospital Sanatório, bem como o Hospital Américo Boavida, sem avançar os valores empregues, nem mais outros dados a respeito das novas unidades hospitalares de referência.

,
Categorie: Angola

Duetos na Avenida com show de humor e homenagem a Mig

Angola Press - 6 ore 20 min fa
Luanda - Humor e música, onde os protagonistas foram Calado Show e Gilmário Vemba, marcaram o segundo concerto da terceira temporada do projecto Duetos na Avenida, cuja homenagem recaiu para o músico Mig.,

 

Com uma assistência de aproximadamente 450 pessoas, na Casa 70, em Luanda, a dupla abriu o espectáculo com um tema ligado ao relacionamento entre homens e mulheres no lar, deixando uma reflexão à sociedade sobre alguns comportamentos menos bom.

De seguida subiu o homenageado da noite, que, em duetos, interpretou  sucessos como O Mundo (com Calado Show), Maka Mami (com Gilmário Vemba) e Senhor Guarda (cantada pelos três).

 


Enquanto a primeira parte tratou do quotidiano dos lares, a seguinte ocupou-se com assuntos sociais das comunidades, contados em piadas, merecendo aplausos da plateia.


Durante o espectáculo interactivo, Calado Show e Gilmário Vemba “ofereceram” dança e música aos seus admiradores, elementos que ajudaram a soltar muitos presentes inicialmente tímidos, mas que não resistiram e participaram da festa.

Para o homenageado da noite (Mig), o momento não serve apenas para desfrutar do show de humor que o espectáculo oferece mas também para  mostrar o casamento entre as artes.  

“Agradeço a homenagem e espero poder participar na alegria de muitos amantes da música angolana”, disse emocionado pelo gesto da organização do evento.


Martins Miguel Zau “Mig”, autor dos sucessos “Cici”, “Belas Sulanas” e “Maka Mami”, sendo esta música com a qual venceu, em 2006, o Top dos Mais Queridos, esteve fora dos palcos por problemas de saúde, após várias cirurgias.

Tem três discos: Universo (1992); Ximunzenze (2005) e Melancia Preta (2016), interpretadas no estilo rumba, zouk, semba e bolero.

Mig tornou-se conhecido em 1974, um ano antes de integrar a banda Luanda Ritmo. Colaborou em 1981 com a banda Os Fachos, em 1982 juntou-se ao Som da Juventude, dois anos mais tarde entrou para Os Anjos, Super Muanza Angola (1985), Os Brilhantes (1987) e venceu o prémio da Canção de Luanda (2005) e Top dos Mais Queridos em 2006.

,
Categorie: Angola

Angolanos e portugueses partilham tributo a Amália Rodrigues

Angola Press - 7 ore 13 min fa
Luanda - Músicos conceituados angolanos e portugueses, numa noite de fado, interpretaram na noite desta quinta-feira, no Cine Atlântico, em Luanda, os melhores sucessos de Amália Rodrigues, naquele que viria a ser um tributo a esta portuguesa, considerada a rainha deste estilo musical. ,

 

Entre os angolanos destaque para Paulo Flores, Pérola e Patrícia Faria. Esta última, apesar de participar pela primeira vez em actividades do género, uma vez já ser a quinta edição, fez vibrar a plateia, sempre a seu jeito,  sobretudo quando interpretou o clássico Conta Errada.

 

Da parte lusa actuaram Mel, Lina, Tânia Aleiro, Cidália Moreira e Marcos Rodrigues.

Foram quase três horas de show, numa sala que esteve com boa assistência.

Foi uma verdadeira festa para enaltecer os feitos de Amália Rodrigues, nascida em 1920 e falecida em 1999.

 

Para a fadista portuguesa Mel,  é sempre fantástico cantar Amália Rodrigues, e melhor ainda quando partilhado com músicos angolanos, e com um público maravilhoso, que sempre soube interagir.

 

Paulo Flores considera difícil interpretar Amália Rodrigues, mas diz ser emocionante faze-lo.

Ana Seabra, um dos membros da organização do espectáculo, fez um balanço positivo da 5ª edição, por, pela primeira vez, terem esgotados os ingressos muito antes do dia do evento.

Por isso, parabeniza o povo angolano por saber ouvir coisas diferentes.

Em 2018, os artistas angolanos Anabela Aya, Afrikanita e C4Pedro foram os convidados do festival Caixa Fado, uma promoção do banco Caixa Angola e enquadra-se dentro da sua iniciativa de âmbito cultural “ Caixa Artes “.

Amália da Piedade Rebordão Rodrigues foi uma cantora, actriz e fadista portuguesa, geralmente aclamada como a voz de Portugal e uma das mais brilhantes cantoras do século XX.

 Tornou-se conhecida mundialmente como a Rainha do Fado e por consequência, devido ao simbolismo que este género musical tem na cultura portuguesa, foi considerada por muitos como uma das suas melhores embaixadoras no mundo.

,
Categorie: Angola

PGR na Lunda Sul reforçado com seis novos magistrados

Angola Press - 8 ore 16 min fa
Saurimo - A Procuradoria-Geral da República (PGR) na província da Lunda Sul conta desde quinta-feira com seis novos magistrados, que vão juntar-se aos actuais oito colocados nesta circunscrição.,

Os novos magistrados do Ministério Público vão prestar serviços junto ao Tribunal Provincial da Lunda Sul, no município sede (Saurimo), enquanto noutras localidades, como Dala, Cacolo e Muconda, os juízes vão deslocar-se caso haja necessidade.

Falando na cerimónia de apresentação dos novos magistrados, a procuradora-geral da República na Lunda Sul em exercício, Liliana Camuamba, exortou os juízes a aplicarem o seu saber, inteligência e dedicação em prol da realização da justiça, possibilitando maior celeridade no tratamento dos processos.

Sem avançar dados sobre o movimento processual local, a magistrada disse que o actual número de juízes é insuficiente para resolver o problema da falta de quadros.

Na ocasião, o governador da Lunda Sul em exercício, Izildo Paulo, encorajou os novos magistrados a trabalharem com empenho, zelo, dedicação e humildade, visando uma melhor administração da justiça na circunscrição.

,
Categorie: Angola

Girabola2019/20: Petro pode alcançar segundo lugar

Angola Press - 9 ore 19 min fa
Luanda - O Petro de Luanda pode juntar-se ao Recreativo do Libolo e à Académica do Lobito na segunda posição da tabela classificativa do Girabola2019/20, caso vença hoje, sexta-feira, às 16 horas, o Progresso do Sambizanga, em jogo de acerto da segunda jornada. ,

Os petrolíferos figuram no quarto lugar,  com 14 pontos, menos três dos libolenses e lobitangas. Os sambilas são 13º com sete pontos, prova liderada pelo 1º de Agosto, com 18.

Este encontro, a disputar-se no estádio 11 de Novembro,  vai marcar o reencontro do avançado Yano com os seus antigos companheiros do Progresso do Sambizanga.

A partida não se realizou na altura devido à envolvência dos tricolores na afrotaças.

Nos dois últimos encontros, a formação do Eixo-viário venceu por 3-0, na primeira volta, e empatou a um golo na segunda.

 

Eis os  resultados dos jogos já disputados da 2ª jornada

1º de Agosto- Desportivo da Huíla 2-0

Recreativo do Libolo- Wiliete de Benguela 2-0

FC Bravos do Maquis- Sagrada Esperança da Lunda Norte 1-0

Interclube- Ferroviário do Huambo 3-0

Recreativo da Caála- 1º de Maio de Benguela 1-0

Cuando Cubango FC- Santa Rita de Cássia 1-1

Académica do Lobito-Sporting de Cabinda, 3-0

 

,
Categorie: Angola

Andebol: Sucesso do 1º de Agosto está na formação

Angola Press - 10 ore 20 min fa
Luanda - A aposta na formação, aliada à construção de infra-estruturas, está na base do sucesso desportivo do 1º de Agosto, em particular para a modalidade de andebol, que se sagrou campeã africana pela sexta vez consecutiva. ,

 

A constatação é do presidente de direcção do clube, Carlos Hendrick, quando falava à imprensa na recepção do troféu continental, ganho no domingo passado, em Cabo Verde.

“As conquistas são fruto de muito trabalho, que já leva anos, e pelos investimentos, quer na formação, nas infra-estruturas quer ainda na sua estrutura organizativa, o 1º de Agosto tem obrigação de vencer todas as competições a nível africano”, reafirmou.   

Por seu turno, a atleta e capitã das militares, Albertina Cassoma, que falou em nome das jogadoras, disse que a missão da equipa em todas as competições passa por uma vitória, atendendo o histórico e as responsabilidades que  o clube tem.

De acordo com a jogadora, a agremiação tem feito bem o seu trabalho, sobretudo com o funcionamento da Academia do Clube, que tem permitido o surgimento de muitos talentos.

O 1º de Agosto conquistou domingo, em Cabo Verde, o sexto título consecutivo da Taça dos clubes campeões africanos,  ao vencer na final as compatriotas do Petro de Luanda, por 18-16.

,
Categorie: Angola

Em Angola, Povo com fome só é livre para… obedecer!

Folha 8 - Gio, 17/10/2019 - 23:42
O candidato à liderança da UNITA Alcides Sakala disse hoje que concorre a presidente do maior partido da oposição que o MPLA ainda permite que exista em Angola para “aprofundar a democracia interna” e reforçar “a coesão no seio da organização” e relembrou Jonas Savimbi, Isaías Samakuva, Paulo Lukamba Gato e os princípios basilares da fundação no Muangai.

Alcides Sakala discursava no lançamento da sua campanha à sucessão de Isaías Samakuva, líder da UNITA desde 2003, após a morte e, combate do líder fundador da organização política, Jonas Savimbi, em 2002.

Com Alcides Sakala concorrem também à presidência da UNITA Adalberto Costa Júnior, Abílio Kamalata Numa, José Estêvão Kachiungo e Raúl Danda, num processo que terá lugar no congresso do partido a realizar-se de 13 a 15 de Novembro, em Luanda.

Segundo Alcides Sakala, a sua candidatura representa a preservação “da memória heróica do saudoso dr. Jonas Malheiro Savimbi, timoneiro da revolução democrática em Angola”, e pretende “valorizar o legado do presidente Samakuva”.

“Reconhecer igualmente o papel desempenhado pelo general Lukamba Paulo Gato, que logo após a morte em combate do presidente fundador, em Fevereiro de 2002, dirigiu o partido, criando a comissão de gestão até à realização do IX Congresso” é objectivo da candidatura, disse.

De acordo com Alcides Sakala, aprofundar a democracia interna é um objectivo estratégico da sua candidatura, referindo que a coesão é um dos “pilares mais importantes para a construção da unidade no seio da organização”.

“Desde o IX congresso, a UNITA fez a aposta consciente de aprofundar a democracia interna, introduzindo, também, o princípio de candidaturas múltiplas para a sua liderança. Com este passo prestamos um contributo considerável ao processo democrático nacional”, considerou.

Para o candidato, a diferença de opiniões no partido é salutar, desde que se tenha o cuidado de encontrar soluções, bem como evitar que se tornem antagónicas.

“Deixo o apelo a todos no sentido de passarmos a vermos os nossos adversários internos como concorrentes da causa comum e não como inimigos”, pediu.

Sobre o país, Alcides Sakala afirmou que atravessa uma situação difícil, “criada pelas sucessivas fraudes eleitorais, má gestão e desvio do erário público, corrupção institucionalizada, pobreza extrema, gritante situação de injustiça social, insatisfação das necessidades básicas da maioria da população, e falta de oportunidades iguais económicas e culturais aos diversos grupos sociais”.

“Perante esta situação e diante dos obstáculos à mudança praticados pelo partido que governa (MPLA), que não é representativo dos interesses da maioria e nem sequer atua frontalmente na resolução dos problemas que diz equacionar, como é por exemplo o caso da seca no sul de Angola, para citar apenas este exemplo, não tivemos outra opção a não ser de apresentar esta candidatura, que procura contribuir para a criação e concretização de um novo projecto de sociedade sobre Angola”, frisou.

A reforma do Estado é um dos desafios da campanha de Alcides Sakala, assunto a que prometeu dar uma “atenção especial”, com o objectivo de “torná-lo cada vez menos partidário e de mais cidadania”.

Alcides Sakala, de 66 anos, natural da província do Huambo, ingressou nas fileiras do partido em 1974, tendo ocupado vários cargos de direcção, tanto a nível político como militar, no partido. Foi, na década de 1980 a 1990, embaixador da UNITA nos Estados Unidos da América, Alemanha Federal, Bélgica e Portugal.

Actualmente, Alcides Sakala é deputado, secretário para as Relações Internacionais e porta-voz da UNITA.

Sakala, Angola e… Cabinda

De facto, o regime do MPLA está-se nas tintas para os angolanos e ainda mais para os naturais da sua “colónia” de Cabinda. É claro que, apesar disso, vai continuar a “ganhar” todas as “eleições”. Um povo com fome (70% dos angolanos vive na miséria) não escolhe… obedece.

No caso de Cabinda importa recordar que na altura da suposta discussão sobre a nova Constituição (feita e aprovada à medida do regime), a UNITA propôs “uma autonomia ampla” para aquele “colónia”, proposta obviamente rejeitada pelo MPLA.

Alcides Sakala disse mesmo que “só a autonomia pode resolver o problema de Cabinda, enquanto solução global, em que participem os países vizinhos de Cabinda, como a República Democrática do Congo, o Gabão e a República do Congo (Brazzaville)”.

Em entrevista ao Jornalista Jorge Heitor do jornal português Público, em 21 de Janeiro de 2010, Alcides Sakala disse que quanto ao facto de o novo texto constitucional ser aprovado um pouco mais cedo do que se tinha previsto, “a metodologia e o calendário do processo constituinte foram tempestivamente alterados. As opiniões recolhidas durante a consulta pública para o enriquecimento das três matrizes de Constituição foram manipuladas ou ignoradas. Foram apenas acolhidas as opiniões emitidas pelos militantes do MPLA em relação à sua matriz”.

Interrogado sobre se houve ou não consenso, contou que, “nas últimas sessões da Comissão Constitucional, todos os partidos presentes votaram contra as propostas atípicas do MPLA. O MPLA aprovou, assim, sozinho o seu sistema de governo, que consagra no Presidente da República os poderes de um ditador africano”.

O MPLA, no seu entender, “aprovou sozinho os símbolos nacionais; quer continuar a utilizar os símbolos da República Popular de Angola. Quer que a bandeira seja a bandeira de um só partido. Quer que a ideologia de Angola seja simbolizada pelos símbolos e chavões marxistas-leninistas. Quer que a classe operária e a classe camponesa, as mais excluídas e discriminadas pelo próprio Estado, sejam destacadas na bandeira nacional. Este destaque, mesmo absurdo e irónico, representado pela catana e pela roda dentada, viola o princípio da igualdade subjacente ao princípio democrático”.

Sakala observou que “o MPLA continua a negar aos angolanos a consagração constitucional do direito de resistência; a consagração constitucional do direito a assistência médica gratuita; o direito à consagração constitucional dos instrumentos de garantia da efectiva liberdade de imprensa; continua a negar aos angolanos o direito a eleições livres e democráticas, organizadas por órgãos independentes, sem a interferência da administração pública”.

Tendo-lhe sido colocada a questão das reservas vindas a público sobre “a lei suprema e fundamental”, considerou que “esta não é ainda a Constituição de Angola. É a Constituição do MPLA, ilegal, porque viola dois princípios que a lei impõe ao poder constituinte como limites materiais, nomeadamente o princípio da eleição directa e o princípio da separação de poderes. Com efeito, a eleição do Presidente da República deve ser formal e materialmente diferente da eleição dos deputados. As eleições presidenciais e legislativas podem ocorrer no mesmo dia, mas devem ser separadas; quer dizer, deve haver dois boletins de voto e duas urnas para estas duas eleições”.

Sobre se a Constituição encarnava o espírito da reconciliação nacional, Sakala observou: “Esse processo fica adiado e vamos continuar a ter uma Angola a marchar a duas velocidades, com os ricos a ficarem cada vez mais ricos e os pobres, que são a maioria, a ficarem cada vez mais pobres.”

Folha 8 com Lusa

The post Em Angola, Povo com fome<br> só é livre para… obedecer! appeared first on Folha 8 Jornal Angolano Independente | Notícias de Angola.

Categorie: Angola

BAD apoia plano dos transportes para integração regional e continental

Angola Press - Gio, 17/10/2019 - 23:02
Luanda - O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) está a apoiar Angola, no sector dos transportes e energia, para que o país esteja preparado para sua integração regional, continental e mundial no comércio. ,


“O banco  disponibilizou  um fundo para apoiar Angola no ramo dos transportes, para facilitar as exportações e mercadorias e vamos  ajudar o governo a  desenvolver o seu plano director  no sector dos transportes”,  afirmou a directora  regional para  departamento de integração do BAD, Moono Mupotola.

Em entrevista à Angop, a margem do lançamento, nesta quinta-feira, do estudo sobre a Diversificação das Exportações de Angola, a directora  regional para  o departamento de integração do BAD, Moono Mupotola,  referiu  que, para o efeito, a  linha de empréstimos é de oito milhões de dólares americanos  e  prevêem, com a finalização do Plano Director dos Transportes, o aumento deste valor para mais oito milhões, passando  para um total 16 milhões de dólares.

De acordo com a responsável, espera-se 1.6 mil milhões  de dólares de portfólio do BAD para Angola, sem avançar mais detalhes.

Quanto ao plano director dos transportes, a oficial do BAD disse que está a ser  preparado projectos do sector, alguns dos quais voltados para ligação de Angola com outros países vizinhos.

Um deles é a melhoria da ligação entre Angola e Zâmbia, através do Corredor do Lobito, com o estabelecimento de um posto estratégico fronteiriço de  desenvolvimento, cruzando o posto transfronteiriço da região de Jimbe.

Para este local, será necessário que as autoridades  harmonizem o regulamentado de politicas  para facilitar o movimento de mercadorias e pessoas  junto à fronteira dos dois países.

O BAD  também  está a olhar para o sector da energia, apoiando Angola com a interconexão  com a Namíbia, um trabalho que já teve início.

A ligação do Porto Walvis Bay (Namíbia) com Angola é outra estratégia que se pretende para facilitar a exportação de produtos entre os dois países.

“Para nós o importante e fazer com que  Angola adianta-se  em todos os protocolos para que possa despontar a  nível a região de SADC, do continente africano e do resto do mundo”, augura Moono Mupotola.

A oficial do BAD acredita no potencial  de Angola no aumento das exportações, actualmente liderado pelo sector petrolífero em 95%.

De acordo com o Estudo sobre a Diversificação das Exportações de Angola, o país poderá vir a  reforçar a variação de exportação de mercadorias, em breve, com a entrada em cena dos sectores de bebidas, cimento, vidro e frascos de vidro, hortícolas, frutas, viagem,  turismo e transformação de frutas.

Para Moono Mupotola, com tais exportações Angola poderá sobressair no campo das exportações, o que vai gerar mais emprego, por isso “Angola precisa implementar o seu programa de exportação”.

,
Categorie: Angola

Que ninguém falte à vacinação. Ela salva!

Folha 8 - Gio, 17/10/2019 - 22:59
As autoridades sanitárias de Luanda vão vacinar, entre sexta-feira e domingo, dois milhões de crianças contra a poliomielite, doença que ressurgiu em Angola, depois de mais de sete anos sem registo de casos. Que ninguém falte à vacinação. Ela salva!

A coordenadora do programa de vacinação de Luanda, Felismina Neto, disse que a campanha vai decorrer a partir de sexta-feira, durante três dias, com o envolvimento de 12.500 pessoas, acrescentando (o que é mentira) que o país não notificava casos desde 2011 (de 2011 a 2019 vão oito anos), mas este ano voltaram a ser notificados casos, principalmente nas províncias do leste do país: Lunda Norte, Lunda Sul e Moxico.

A coordenadora do programa de vacinação frisou que a capital angolana, Luanda, registou igualmente um caso de poliomielite, no município do Kialamba Kiaxi, na zona do Rasta, salientando que a campanha que se inicia sexta-feira, é a primeira fase, seguindo-se duas outras de 1 a 3 de Novembro e entre 15 e 17 do mesmo mês. As províncias com maior incidência realizaram já as suas campanhas de imunização nos meses de Agosto e Setembro.

Angola certificada pelo Comité de Certificação Regional Africano como livre do vírus da pólio, tendo os últimos cinco casos sido notificados em 2011, nas províncias do Uíje e Cuando Cubango.

Em Setembro de 2014, segundo informação da Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgada nessa altura, mais de 35 milhões de crianças de oito países da África central, incluindo Angola, estavam a ser vacinadas contra a poliomielite.

De acordo com o comité regional da OMS em África, estas jornadas sincronizadas de vacinação decorreram em países como Angola, Camarões, República do Congo, Gabão, Guiné Equatorial, República Centro-Africana, República Democrática do Congo e Chade.

Também apelidada de paralisia infantil ou simplesmente pólio, a poliomielite é uma doença infecciosa viral aguda transmitida de pessoa a pessoa, principalmente pela via fecal-oral, que atinge sobretudo crianças com menos de cinco anos.

Angola pretendia avançar em Novembro de 2015 com o processo de certificação da erradicação da poliomielite do país, sendo o país lançou o Programa de Erradicação da Pólio em 1997, mas dois anos mais tarde registou a maior epidemia da doença, com 1.119 casos.

Em 2011 iniciou-se um plano de emergência para interromper a transmissão da poliomielite, tendo os últimos cinco casos da doença sido registados nesse ano, nas províncias do Uíge e do Cuando Cubango.

Recorde-se que Organização Mundial de Saúde entregou no dia 9 de Dezembro de 2014 ao Governo angolano equipamento laboratorial no valor de 80 mil dólares (65 mil euros) para vigilância ambiental do vírus selvagem da pólio.

Em declarações à imprensa, à margem do acto de entrega, o então ministro da Saúde de Angola, José Van-Dúnem, disse que o apoio da OMS insere-se no esforço que o país e os seus parceiros vêm fazendo para melhorar a vigilância epidemiológica do vírus da pólio.

Segundo o então governante, este é um primeiro passo para se começar a tratar completamente das amostras no país, sem ter de as enviar para a África do Sul, como acontecia até então, diminuindo igualmente os custos suportados pelos parceiros.

“É um esforço para aumentar a capacidade de resposta do ponto de vista integral, na luta contra a pólio, nomeadamente na área da vigilância epidemiológica”, disse José Van-Dúnem, acrescentando que iria igualmente contribuir para a segurança, do ponto de vista do controlo sobre a circulação ou não do vírus.

“É uma retaguarda importante para a segurança, para a garantia da qualidade daquilo que se está a fazer”, reforçou o governante.

José Van-Dúnem referiu na altura que há mais de três anos que o vírus da pólio não circulava em Angola, havendo assim condições criadas para se considerar erradicada a doença no país.

“Vamos fazer mais um ano, continuamos a fazer as campanhas de vacinação para garantir a vacinação de massa”, disse o então ministro, sublinhando a importância da população aderir sempre ao esforço governamental.

Em Julho de 2014, Angola introduziu o método de recolha das amostras ambientais, em que se apanha em esgotos amostras para ver se o vírus está em circulação, tornando-se assim o terceiro Estado da região africana da OMS, ao lado da Nigéria e do Quénia, que estabeleceu a vigilância ambiental da poliomielite.

A vigilância ambiental da pólio fornece informação complementar sobre a qualidade da vigilância das paralisias flácidas agudas e é um método muito sensível para detectar a transmissão silenciosa do vírus da pólio, face ao risco de uma eventual importação.

No início de 2017 os chefes de Estado de toda a África aprovaram a Declaração de Adis Abeba sobre a imunização, também conhecida como Declaração Ministerial sobre o Acesso Universal à Imunização, uma promessa histórica e oportuna para garantir que toda a gente em África – independentemente da sua origem e do lugar onde vive – receba todos os benefícios da imunização.

Embora a África tenha registado ganhos impressionantes nos últimos 15 anos em termos do aumento do acesso à imunização, os progressos estagnaram e o continente está a ficar para trás na realização das metas globais de imunização. Uma em cada cinco crianças em África ainda não recebeu as vacinas básicas que salvam vidas e, assim, as doenças evitáveis com vacinas continuam a ceifar muitas vidas. Só o sarampo é responsável, anualmente, por aproximadamente 61 000 mortes evitáveis na Região Africana.

“Sabemos que o acesso universal à imunização é exequível”, indicou a Presidente cessante da Comissão da União Africana, Nkosazana Dlamini-Zuma. “A Declaração de Adis Abeba sobre a Imunização é uma promessa histórica. Com vontade política aos mais altos níveis, estamos mais perto do que nunca a garantir que todas as crianças em África tenham as mesmas oportunidades a uma vida saudável e produtiva”, disse.

A Declaração sobre a imunização solicita aos países que aumentem os investimentos políticos e financeiros nos seus programas de imunização. Inclui 10 compromissos, nomeadamente aumentar o financiamento relacionado com as vacinas, reforçar as cadeias de aprovisionamento e os sistemas de distribuição e fazer do acesso universal às vacinas um pilar fundamental dos esforços da saúde e do desenvolvimento.

“As vacinas estão entre os instrumentos mais eficazes de saúde pública disponíveis”, disse Matshidiso Moeti, Directora Regional da OMS para a África: “Quando as crianças começam a crescer saudáveis, as comunidades prosperam e as economias crescem mais. Esta demonstração de apoio dos Chefes de Estado é um passo importante na prossecução dos nossos esforços para alcançar o acesso universal à imunização e, em última análise, melhorar a saúde das crianças e promover o desenvolvimento sustentável em toda a África”.

Cerca de 15 países africanos financiam mais de 50% dos seus programas nacionais de imunização. À medida que África caminha para a erradicação da poliomielite, prevê-se que haja uma diminuição do importante financiamento da imunização através do programa de erradicação da poliomielite. Além disso, os países que estão a transitar para o estatuto de rendimento médio, ficarão privados do apoio do GAVI – parceria público-privada criada para melhorar o acesso às vacinas em países pobres – para a imunização nos próximos anos. Por conseguinte, os governos devem redobrar esforços no sentido de fazerem da cobertura universal da imunização uma prioridade nacional.

“Enquanto houver uma criança em África que não tenha acesso à imunização, o nosso trabalho permanece inacabado”, disse Ala Alwan, Director Regional da OMS para o Mediterrâneo Oriental: “Com a combinação certa de vontade política, recursos financeiros e competência técnica, a África pode – e deve – enfrentar as doenças evitáveis com vacinas em todo o continente”.

Com lideranças e investimentos fortes, o aumento do acesso à imunização é exequível. Por exemplo, em 2010, a Etiópia construiu 16 000 novos centros de saúde, comprou 2 000 frigoríficos alimentados a energia solar para o armazenamento de vacinas e criou uma rede de milhões de agentes e voluntários de saúde ao nível comunitário para aumentar o acesso à imunização em todo o país. Desde que estes investimentos foram feitos, a Etiópia registou ganhos extraordinários, com taxas de imunização que passaram de 61% em 2010, para 86% em 2015.

“A imunização é um dos investimentos mais inteligentes que um país pode fazer no seu futuro”, afirmou o Yifru Bernham Mitke, Ministro da Saúde da Etiópia: “Devemos fazer mais para proteger todas as nossas crianças das doenças evitáveis – não apenas porque é isso que está correcto mas também porque faz sentido economicamente. Se as nossas crianças forem saudáveis, as nossas famílias, as nossas comunidades e os nossos países prosperam”.

A Declaração sobre a Imunização foi assinada pelos Ministros da Saúde e outros ministros sectoriais na Conferência Ministerial sobre a Imunização em África (CMIA), em Fevereiro de 2016 em Adis Abeba. A CMIA foi a primeira reunião de sempre, a nível ministerial, organizada com o principal objectivo de garantir que as crianças em todo o continente possam ter acesso a vacinas que salvam vidas.

“Os líderes africanos estão a demonstrar uma extraordinária liderança aprovando este compromisso histórico que permitirá que mais crianças africanas recebam vacinas que salvam vidas independentemente do lugar onde vivem”, afirmou Ngozi Okonjo-Iweala, Presidente da GAVI, Aliança Mundial de Vacinas: “Devemos agora garantir que os compromissos sejam traduzidos em financiamentos sustentáveis para a imunização. A GAVI está disposta a apoiar os esforços dos países africanos a implementar abordagens equitativas de saúde e a manter uma forte cobertura de imunização a fim de que juntos possamos criar um futuro mais próspero para as comunidades em todo o nosso continente”.

Folha 8 com Lusa

The post Que ninguém falte à vacinação. Ela salva! appeared first on Folha 8 Jornal Angolano Independente | Notícias de Angola.

Categorie: Angola

EUA: Trump indica novo embaixador dos EUA no Brasil

Angola Press - Gio, 17/10/2019 - 22:39
Washington - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, oficializou na quarta-feira (16) o nome de Todd Chapman para ocupar o cargo de embaixador dos EUA no Brasil.,

O indicado ainda precisa de aprovação no Senado - casa em que o presidente tem maioria. É a segunda embaixada norte-americana liderada por Chapman.

 

Entre 2016 e Junho de 2019, o diplomata ocupou o cargo de embaixador no Equador, nomeado ainda durante o governo de Barack Obama.

 

Funcionário de carreira do Serviço Exterior dos Estados Unidos, Chapman já trabalhou na Embaixada dos EUA em Brasília como chefe de missão. Ele também actuou em outros cargos diplomáticos no Afeganistão, na Bolívia, na Costa Rica, em Moçambique, na Nigéria, em Taiwan e em Uganda.

 

O último embaixador dos EUA no Brasil foi Michael McKinley, indicado por Barack Obama em 2016 .Ele deixou o posto no fim de 2018, meses depois de assumir o cargo de assessor do Secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo.

 

O mandato do diplomata ao lado do braço direito de Trump terminou na semana passada. Desde então, a Embaixada dos EUA em Brasília está sem embaixador. O responsável, por enquanto, é o encarregado William Popp.

,
Categorie: Angola

França: UNESCO aprova Dia Mundial da Língua Portuguesa

Angola Press - Gio, 17/10/2019 - 22:22
Paris - O Dia Mundial da Língua Portuguesa vai ser comemorado anualmente a 5 de Maio, como já acontece na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.,

 

É a primeira vez que a UNESCO toma uma decisão destas em relação a uma língua que não é oficial da UNESCO.

A decisão foi tomada hoje na sede da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), em Paris, na reunião do seu conselho executivo.

 

Todos os países lusófonos se uniram para introduzir esta proposta e receberam o apoio de países como Argentina, Chile, Georgia, Luxemburgo, Uruguai, e a proposta foi aprovada por unanimidade.

 

Na proposta apresentada ao conselho executivo, os países lusófonos argumentaram que a língua portuguesa é a mais falada do hemisfério Sul e que foi também a língua da primeira vaga de globalização, deixando palavras e marcas noutras línguas no mundo.

 

O dia da língua portuguesa será oficialmente assinalado na sede da UNESCO com apresentações musicais, literatura, exposições ou qualquer outra representação cultural e a sua organização ficará a cargo dos países que têm o português como língua oficial.

Esta medida vai ajudar os esforços dos países lusófonos na promoção da língua.

A proposta agora aprovada pelo conselho executivo será ratificada na conferência geral da UNESCO, em Novembro.

,
Categorie: Angola

França: UNESCO aprova Dia Mundial da Língua Portuguesa

Angola Press - Gio, 17/10/2019 - 22:22
Paris - O Dia Mundial da Língua Portuguesa vai ser comemorado anualmente a 5 de Maio, como já acontece na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.,

 

É a primeira vez que a UNESCO toma uma decisão destas em relação a uma língua que não é oficial da UNESCO.

A decisão foi tomada hoje na sede da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), em Paris, na reunião do seu conselho executivo.

 

Todos os países lusófonos se uniram para introduzir esta proposta e receberam o apoio de países como Argentina, Chile, Georgia, Luxemburgo, Uruguai, e a proposta foi aprovada por unanimidade.

 

Na proposta apresentada ao conselho executivo, os países lusófonos argumentaram que a língua portuguesa é a mais falada do hemisfério Sul e que foi também a língua da primeira vaga de globalização, deixando palavras e marcas noutras línguas no mundo.

 

O dia da língua portuguesa será oficialmente assinalado na sede da UNESCO com apresentações musicais, literatura, exposições ou qualquer outra representação cultural e a sua organização ficará a cargo dos países que têm o português como língua oficial.

Esta medida vai ajudar os esforços dos países lusófonos na promoção da língua.

A proposta agora aprovada pelo conselho executivo será ratificada na conferência geral da UNESCO, em Novembro.

,
Categorie: Angola

Ema Nzadi vence Prémio Literário António Jacinto edição 2019

Angola Press - Gio, 17/10/2019 - 22:06
Luanda - Ema Nzadi, pseudónimo de Emanuel Vieira Cambulo, é o vencedor da 26ª edição do Prémio Literário António Jacinto, com a obra poética “Pintura dos Ecos”, anunciado nesta quinta-feira, numa promoção do Ministério da Cultura por meio do Instituto Nacional das Industriais Culturais e Criativas. ,

 

A obra, composta de 31 poemas  e uma tiragem de mil exemplares,  faz alusão à poesia cultural com alguns termos na língua Kikongo, bem como utiliza alguns trechos das músicas de Teta Lando, sendo de um valor monumental para a sociedade.

O laureado recebeu um diploma e um cheque no valor de um milhão e 963 mil Kwanzas da administração do Banco de Poupança e Crédito (BPC), patrocinador do concurso.

Presente no acto, o secretário de Estado da Cultura para as Indústrias Culturais e Criativas, João Constantino, disse que o prémio constitui um acto importante no âmbito das acções programadas pelo seu sector, visando à criação literária e também à promoção da leitura, à luz do processo de acompanhamento e implementação da política nacional do livro e da leitura.

Ressaltou que o legado de António Jacinto tem servido de mola impulsionadora para muitos participantes, contribuindo quer para o surgimento de novos autores, quer para o enriquecimento do universo simbólico e do imaginário angolano.

João Constantino referiu que o prémio atribuído a Emanuel Vieira Cambulo, da província do Zaire, ressalta a participação das províncias o que é animador.

Por seu turno, Emanuel Vieira Cambulo sente-se satisfeito e agraciado pelo prémio que reflecte a questão cultural, dos provérbios e da musicalidade da tradição Bakongo, por ser natural do Zaire.

“Pretendo com a obra levar a cultura local para mais longe, especialmente para a juventude, pois  há muita gente que não sabe da nossa cultura, por isso é preciso que todos tenham noção o quanto vale o que é nosso”, referiu.

Já o administrador do BPC Victor Cardoso referiu que, desde a implementação do Prémio Literário António Jacinto, já patrocinaram 22 obras e reiterou a continuidade neste processo para incentivar o surgimento de novos autores.

Emanuel Vieira, de 30 anos, é técnico médio em Ciências Humanas, curso através do qual viria a descobrir sua veia artística. É membro fundador do Movimento Literagris e representante do mesmo na sua província.

O Prémio Literário António Jacinto visa incentivar o surgimento de novos autores e novas obras literárias de angolanos.

O prémio é de periodicidade anual em homenagem ao Poeta António Jacinto do Amaral Martins, um dos grandes vultos das Letras e da Cultura Nacional.

Em 2018 o vencedor foi Oliver Quiteculo, com a obra "Mahamba".

,
Categorie: Angola

EUA e Turquia chegam a acordo para suspender ofensiva na Síria

Angola Press - Gio, 17/10/2019 - 22:06
EUA - Os Estados Unidos e a Turquia chegaram a acordo para suspender a operação militar na Síria. O Presidente Donald Trump escreveu no Twitter que chegaram "boas notícias da Turquia" remetendo mais explicações para uma conferência de imprensa do vice-presidente Mike Pence.,

"Milhões de vidas vão ser salvas", garantiu ainda Trump.

No decurso da conferência na capital turca, Pence precisou que a Turquia vai interromper a sua ofensiva no norte da Síria durante cinco dias e pôr termo à incursão militar após uma retirada das forças curdas dessa região e durante esse prazo.

 

A ofensiva turca "vai terminar completamente quando terminar essa retirada" durante o período de suspensão, declarou aos media após mais de quatro horas de conversações com Recep Tayyip Erdogan.

 

O 'vice' dos Estados Unidos revelou também que os Estados Unidos não vão impor mais sanções à Turquia, como parte deste acordo

 

De recordar que o presidente da Turquia recebeu esta quarta-feira, em Ancara, o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, e o secretário de Estado, Mike Pompeo, encontro que surgiu por iniciativa norte-americana para pressionar a suspensão da ofensiva turca na Síria.

 

A Turquia lançou na semana passada uma ofensiva no nordeste da Síria contra a milícia curda das Unidades de Protecção Popular (YPG), aliada dos ocidentais no combate aos jihadistas do grupo Estado Islâmico, mas considerada terrorista por Ancara.

 

A ofensiva turca surge após o anúncio do Presidente norte-americano, Donald Trump, de que as tropas dos Estados Unidos iam abandonar a zona em causa.

,
Categorie: Angola